É notável o crescimento do interesse pela temática nas altas habilidades/superdotação (AH/SD) que vem ocorrendo nos últimos anos, em especial, a partir do ano de 2008 (Chacon e Martins, 2014). Contudo, muito ainda está por ser investigado e, mesmo entre os tópicos mais pesquisados, existem aqueles que estão distantes de terem sua relevância esgotada, pois continuam impondo desafios à área da Educação, como é o caso do atendimento educacional e da identificação (Martins et al, 2015).

Entre os estudos pouco estudados nacionalmente, encontra-se a precocidade, que é compreendida como antecipação no desenvolvimento da criança dentro de um determinado campo ou área de domínio, como por exemplo, na linguagem, na matemática, na música, nas artes, nos esportes, etc.

A precocidade é um fenômeno que pode ou não estar associado à superdotação (Acereda e Sastre, 1998; Gama, 2006; Guenther, 2006). Isso significa que, ao encontrarmos uma criança de dois ou três anos que já é capaz de ler e/ou escrever autonomamente, ou que, aos quatro ou cinco anos, toca perfeitamente um instrumento musical, que aos dez resolve cálculos avançados para sua faixa etária, ou que consegue fazer qualquer outra coisa que crianças de mesma idade ainda não fazem, existe a possibilidade de estarmos diante de um indicador de superdotação que só poderá ser confirmado com o passar do tempo. Em contrapartida, é certo que se trata de uma criança precoce. Caso essa precocidade não esteja relacionada à superdotação, desaparecerá no decorrer do desenvolvimento.

Agora acompanhe abaixo, os critérios característicos de pessoas com altas habilidades e descubra que não é somente a inteligência que o torna superdotados.

As crianças com Altas Habilidades não devem apresentar, necessariamente, todas as características abaixo.

 (Dados extraídos de MEC 2007 – Quadro 5 – p.44)                

1 – Aprende fácil e rapidamente. 

2 – É original, imaginativo, criativo, não convencional.

3 – Está sempre bem informado, inclusive em áreas não comuns.

4 – Pensa de forma incomum para resolver problemas.

5  – É persistente, independente, auto-direcionado (faz coisa sem que seja mandado).

6 – Persuasivo, é capaz de influenciar os outros.

7 –  Mostra senso comum e pode não tolerar tolices.

8 –  Inquisitivo e cético, está sempre curioso sobre o como e o porquê das coisas.

9 – Adapta-se com bastante rapidez a novas situações e a novos ambientes.

10 – É esperto ao fazer coisas com materiais comuns.

11 – Tem muitas habilidades nas artes (música, dança, desenho etc.).

12 –  Entende a importância da natureza (tempo, Lua, Sol, estrelas, solo etc.).

13  – Tem vocabulário excepcional, é verbalmente fluente.

14 –  Aprende facilmente novas línguas.

15 – Trabalhador independente.

16 – Tem bom julgamento, é lógico.

17  – É flexível e aberto.

18 –  Versátil, tem múltiplos interesses, alguns deles acima da idade cronológica.

19 – Mostra sacadas e percepções incomuns.

20 – Demonstra alto nível de sensibilidade e empatia com os outros.

21 – Apresenta excelente senso de humor.

22  – Resiste à rotina e à repetição.

23  – Expressa ideias e reações, frequentemente de forma argumentativa.

24 – É sensível à verdade e à honra.

No caso de Alto Habilidosos Cognitivos:

1- Vocabulário avançado;

2- Perfeccionismo;

3- Críticos;

4- Contestadores;

5- Não gostam de rotina;

6- Grande interesse por temas abordados por adultos;

7- Facilidade de expressão;

8- Desafia professor e colegas;

9- Conseguem monopolizar atenção de professor e colegas;

10-Preferem geralmente trabalhar de forma individual.

Por causa da falta de estímulo recebido em casa e na escola, estas crianças podem apresentar: 

1- Baixo rendimento escolar, por falta de interesse nos conteúdos ministrados pelas escola.

2- Decepção e frustração por não se sentirem atendidos nem compreendidos.

3- Desinteresse nos estudos.

4- Comportamento inadequado. Muitas vezes confundido com: hiperativos, com crianças com distúrbios comportamentais ou déficit de concentração.

Crianças com altas habilidades ou mesmo superdotadas, tem direito a inclusão social, por isso, as famílias e escolas precisam ser orientadas de forma adequada para estimular essas crianças a desenvolverem seus talentos, assim como, a se sentirem bem no contexto de sala de aula; por isso, é importante saber se seu filho é uma criança superdotada ou mesmo, se você possui altas habilidades! Somente psicólogos podem avaliar, pois os testes psicológicos são de uso exclusivo do psicólogo, conforme o Art. 1º da resolução nº005/2012 do CFP.

Se você acha que possui algumas das características citadas aqui, entre em contato conosco, agende sua avaliação!

Gostou do nosso conteúdo de hoje? Deixe abaixo seu comentário!

Fonte: Martins, Bárbara Amaral; Chacon, Miguel Claudio Moriel. Crianças precoces com indicadores de altas habilidades/superdotação: as características que contrariam a imagem aluno “ideal”. Educação Unisinos. 2016.

Associação Paulista para Altas Habilidades/Superdotação: apahsd.org.br

🌸Tamires Alencar de Souza
Psicóloga CRP 11/09543
Esp. em Avaliação Psicológica e Psicodiagnóstico
Terapeuta Cognitivo Comportamental em Formação
☎(88) 9 8846-3405 / (88) 3512-7615
🖱psicologa.tamiresalencar@gmail.com

Posts Relacionados

Falar em Mutismo Seletivo é falar em Transtornos de Ansiedade na Infância. “Em 2010, Stallard já alegava que os transtornos de ansiedade em crianças e jovens eram tão comuns que já constituíam o maior grupo de problemas de saúde mental durante esta fase. De acordo com ele: “Os transtornos de ansiedade durante a adolescência conferem […]

“A idade gestacional e o peso de nascimento são os fatores de maior impacto na mortalidade e no risco de sequelas em recém-nascidos (RN). De acordo com a Organização Mundial da Saúde ([WHO], 1980) crianças nascidas antes da 37ª semana de gestação (<259 dias) e com peso <2.500g são consideradas prematuras. Considera-se prematuro moderado o […]