😓Você sabe identificar o transtorno de ansiedade de separação na infância e adolescência?

😒Os TAs podem causar manifestações clínicas capazes de gerar importantes prejuízos no funcionamento normal do indivíduo, causando baixa autoestima, desinteresse pela vida, baixo desempenho escolar, depressão e comorbidades como demais transtorno de ansiedade (50% dos casos), TOC e transtorno de identidade sexual (33%).

📌O que é o transtorno?

Conforme o DSM V, classificado no CID 10 F93.0, o mesmo se caracteriza pela experimentação de ansiedade excessiva em função do afastamento de casa ou de figuras de vinculação. A reação emocional exagerada diante do afastamento dos pai também pode fazer parte do funcionamento normal de crianças muito pequenas. Esse comportamento pode ser frequentemente observado em crianças até a idade pré-escolar, devido à insegurança gerada pela ausência dos cuidadores. A ansiedade de separação se configura como um transtorno quando se torna inadequada para o grau de desenvolvimento ou quando interfere no funcionamento da vida diária do indivíduo (sUVEG & cOLS, 2005).

📌Como identificar?

Crianças e adolescentes que apresentam este quadro têm um medo irreal de que algo prejudicial aconteça com eles ou com seus pais, quando se afastam, de modo que não seja possível o reencontro (Silverman & Dick-Niederhauser, 2004). As preocupações mais frequentes com relação aos pais são ferimentos graves ou morte. A própria criança ou adolescente pode temer ser sequestrado ou se perder de seus pais. Estas preocupações podem ocorrer tanto em estado de vigília como durante o sono (Suveg & cols., 2005).

Frequentemente, observa-se a intensificação destes sintomas sob a forma de perseguição aos pais dentro de casa, dificuldades para dormir ou ficar em casa sozinho e recusa para ir à escola ou para sair desacompanhado, nos momentos que antecedem a saída dos pais para o trabalho ou o horário da escola (Francis, Last & Strauss, 1987). Quando os pais saem de casa, frequentemente essas crianças ou adolescentes sentem a necessidade de saber onde eles estão ou de permanecer em contato, sendo muito comum o uso do telefone para este fim.

Algumas crianças ou adolescentes se queixam de saudade extrema quando estão longe de casa, podendo experimentar sintomas somáticos em função do desconforto (APA, 2000). Dentre os sintomas somáticos mais usuais estão: dor de cabeça, de estômago e náuseas. Estes sintomas são comuns tanto no momento da separação quanto na antecipação do afastamento (Francis & cols., 1987).

📌Qual a frequência do TAS?

Embora o transtorno de ansiedade de separação possa ocorrer em qualquer idade antes dos 18 anos, existe uma maior frequência deste transtorno na faixa etária que vai dos sete aos nove anos de idade (Last & cols., 1996). Francis e cols. (1987) encontraram diferenças na expressão dos sintomas de acordo a faixa etária. Preocupação e pensamentos trágicos sobre os pais parecem estar associados a crianças com idades entre 5 e 8 anos. Protestos ou acessos de raiva, falta de concentração e apatia são mais frequentes em crianças maiores (entre 9 e 12 anos). Queixas somáticas e recusa escolar são comuns em adolescentes. Parece não existir distinção na expressão destes sintomas entre meninos e meninas.

O curso do transtorno costuma oscilar entre momentos de ansiedade em menor grau e crônicos, com períodos de exacerbação em grau agudo. Comumente, estes momentos de pico são acompanhados por alterações importantes na vida da criança ou do adolescente, tais como mudança de escola ou doença na família (Suveg & cols., 2005).

😀Fique atento as reações de seu filho! Ansiedade em grande escala, é patológico!

Fonte: Vianna, R.R.A.B apud. Transtornos de ansiedade na infância e adolescência: uma revisão. Revista Brasileira de Terapias Cognitivas, 2009, Volume 5, Número 1.

Entre em contato conosco e solicite o psicodiagnóstico!
👉Psicóloga Tamires Alencar (CRP 11/09543)
Avaliação Psicológica e Picodiagnóstico
(88) 9 8846-3405 / psicologa.tamiresalencar@gmail.com

#AvaliaçãoPsicológica #Psicodiagnóstico #LaudoPsicológico #PsicodiagnósticoInfantil #PsicólogaTamiresAlencar #PsicologiaemJuazeirodoNorte

Posts Relacionados

O transtorno obsessivo-compulsivo (TOC) é muito comum na infância e, sobretudo na adolescência, pela simples razão de que na maioria das vezes inicia nessas faixas etárias, eventualmente muito cedo, antes mesmo dos dois anos de idade. Se o TOC pode ter um impacto profundo na vida de pessoas adultas e de sua família, esse impacto […]

A Psicologia da Educação Matemática, como campo de pesquisa propriamente dito, tem como data de destaque o ano de 1976, ano da criação do International Group of Psychology of Mathematics Education, dentro de um evento internacional de Educação Matemátia. Tal grupo nasceu com o objetivo de promover o intercâmbio científico e de pesquisas interdisciplinares, buscando […]